quinta-feira, 26 de outubro de 2017

CURTA-METRAGEM GRAVADO EM RESENDE GANHARÁ CIRCUITO DE EXIBIÇÃO


A Companhia LIATT de Teatro e Improviso, que tem como idealizador o ator e diretor Leandro Resende está buscando novos desafios e está em uma nova fase. Desde o mês passado (setembro) tem ganhado fãs e seguidores com vídeos de humor nas redes sociais. Como parte desses desafios em parceria com a empresa Octoart Photography a Companhia produziu de forma independente o curta-metragem “Janela” com atores moradores de Resende, tendo roteiro e direção de Leandro Resende.
O curta-metragem será exibido pela primeira vez no Plenário da Câmara Municipal de Vereadores de Resende, no dia 1º de Novembro em parceria com o Projeto Câmara Cultural, a partir das 19:30. Na ocasião serão exibidos alguns esquetes inéditos de humor que tem feito sucesso nas redes sociais com atores de Resende e produzido pela Companhia LIATT. Leandro diz que haverá uma agenda de exibições: “Vamos ter a primeira exibição na Câmara, mas já estamos marcando outros locais de exibição antes de disponibilizá-lo nas redes sociais” – revela.

Sobre a gravação:
O set de filmagem foi montado em uma enfermaria do Hospital Unimed Resende e o filme foi todo filmado em apenas um longo e cansativo dia, mas com muita animação e expectativa. “Passamos todo o dia dentro do hospital gravando. Acho que foi a primeira vez que fui feliz para uma enfermaria” – comenta o ator e diretor Leandro Resende.
Sobre a história:
O primeiro curta com o título “Janela” é ambientado em uma enfermaria de hospital e é inspirado no conto “A Janela”. A história de dois amigos que estão internados e estreitam os laços no dia-a-dia da enfermaria é o mote dessa história emocionante e inspiradora. O filme mostra a importância de fazer coisas simples para tornar a vida do outro bem melhor e confortável.

Sobre o elenco e produção:
O elenco é formado por Leandro Resende (ator e diretor da Companhia LIATT, roteirista e preparador de elenco), Bruno Leonardo e Amanda Silva (atores da LIATT) e Marcelo Castro (ator da LIATT que tem feito participações em novelas da Rede Globo).
“Janela” teve a captação, montagem e fotografia de Ebenézer de Paula, com roteiro e produção de Leandro Resende; Figurino: Bianca Schvasrtman (Unimed Resende) e Companhia LIATT; Comunicação e Marketing: Bianca Schvasrtman (Unimed Resende) e Leandro Resende; Apoio de Simão Áudio e Luz e Preparação de Elenco de Leandro Resende, com apoio na preparação de José de Moura. Direção de Áudio e Fotografia: Octoart Photography; Trilha sonora sob atribuição de Creative Commons.



terça-feira, 17 de outubro de 2017

TCE emite parecer contrário às contas de José Rechuan

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE) emitiu hoje, parecer contrário à aprovação das contas de 2016 do município de Resende. Na ocasião, o prefeito era José Rechuan Júnior. O relatório é de autoria da conselheira Marianna Montebello Willeman e foi aprovado por unanimidade. O ex-prefeito informou ao A VOZ DA CIDADE que recorrerá da decisão. O parecer prévio segue para a Câmara Municipal local para a decisão final sobre as contas.
A decisão se baseou em três irregularidades: o cancelamento de restos a pagar de despesas liquidadas no valor de R$ 543.518,82, não observando o direito adquirido por quem possui crédito com o governo; o déficit financeiro de R$ 4.166.899,26 ocorrido em 2016, término do mandato; e a realização de despesas que não possam ser cumpridas integralmente dentro do mandato, sendo apurada uma insuficiência de caixa no montante de R$ 4.285.849,26. Foram apontadas pela relatora dez impropriedades e 13 determinações.
Rechuan esteve na sessão para fazer sua própria defesa. A decisão da conselheira apontou que a prefeitura cumpriu todos os limites de investimentos mínimos em educação e saúde. O ex-prefeito cumpriu o determinado na Lei de Responsabilidade Fiscal no que se refere a gastos com pessoal, ficando abaixo do determinado de 54% da Receita Corrente Líquida.
Em sua defesa, Rechuan disse que Resende deixou de arrecadar mais de R$ 30 milhões em 2016 por conta da diminuição de repasses de ICMS, royalties e de convênios, frutos da crise econômica que afeta o país. "Durante meu segundo mandato ainda reduzimos a folha de pagamento em 10% e os contratos em 25%, além de diminuirmos a dívida da cidade de 22% para 10,14%", argumentou o gestor, que governou o município por dois mandatos consecutivos, de 2009 a 2016.
Ao jornal, ele disse que vai recorrer da decisão no próprio TCE e que foi para fazer sua defesa pessoalmente justamente por acreditar tecnicamente que tudo foi feito de maneira correta. Ele contou que as contas analisadas de final de mandato, no caso de 2016, são um resumo de todo o período à frente do governo municipal. Ele esclareceu que o problema apontado pelo TCE para reprovação foi um equívoco que ele espera facilmente resolver. “Vou recorrer na justiça, em todas as instâncias que puder porque acho que foi uma profunda injustiça a maneira com que os dados técnicos não foram levados em consideração. Um dos pontos diz que Resende terminou com déficit de R$ 4 milhões, só que os empenhos não foram levados em consideração. Isso que vou brigar. Afirmo que deixei um superávit de R$ 6 milhões”, destacou o ex-prefeito.
Rechuan explicou que foi analisado todo o mandato. “Meu primeiro mandato foi de 2009 a 2012 e quando paguei o salário de dezembro paguei o 13º salário no mesmo mês e na época, a lei permitia empenhar em 2013. Quando abriu o ano seguinte empenhei e paguei a folha. Essa folha tem que ser contada no segundo mandato. Eles escreveram que empenhei em 2012 e paguei em 2013. E não foi isso”, destacou, frisando que nenhuma de suas contas tinha sido reprovada ainda. “A Justiça tarda mais não falha”, concluiu. 
Fonte: http://avozdacidade.com/site/noticias/politica/61896/